Jul 31 / Eng. Cristian Silva

Preparação de cabeçote – Parte 4

Para dar sequência ao assunto preparação de cabeçote vai ser necessário avaliar alguns parâmetros de modificação das peças do cabeçote e do cabeçote, mas para isso precisamos entender e usar algumas ferramentas.

Comando de válvulas:
Na imagem abaixo podemos ver o diagrama de abertura de válvulas de admissão em azul e de escape em vermelho.
Para levantamento desses dados acima pode ser usado ferramentas como o relógio comparador e o disco graduado conforme a imagem abaixo:
A maneira mais correta de avaliar a construção de um eixo comando de válvulas é através de uma ferramenta especifica chamado de “Cam Analyzer” ou analisador de comando de válvulas, conforme imagem abaixo. 
O objetivo principal dessa ferramenta é medir o comando para verificar se todos cames atendem a especificação descrita pelo fabricante, o que em alguns casos acaba não atendendo.

Na imagem abaixo podemos ver como é dividido o perfil do came do comando de válvulas de uma maneira bem simples: círculo base, rampa de abertura, flanco de abertura, nariz, flanco de fechamento e rampa de fechamento.
Com base nas informações anteriores podemos tirar as principais características do comando para uma primeira avaliação:
  • Duração: Nesse caso (primeira imagem) 260° de admissão e escape
  • Abertura máxima da válvula: Diferença da medida do came (nariz) em relação ao círculo base Ex: 48mm – 38mm = 10mm de levante
  • Cruzamento de válvulas: Nesse caso (primeira imagem) 25° + 25° = 50°. Essa informação pode ser avaliada também pelo ângulo de separação dos cames de admissão e escape.
Vamos usar um exemplo do site da Crower, renomado fabricante de comando de válvulas, para facilitar a sua compreensão.
Observem que selecionamos um exemplo de aplicação de comando para motor VW com as seguintes características:
  • Duração: Admissão - 298° com zero de folga ou 260° com 0.050” de folga (medição bem comum na alta performance). Escape – 306° com zero de folga ou 272° com 0.050”.
  • Abertura máxima da válvula: Admissão 0.462” ou 11,7mm, escape 0,482” ou 12,2mm.
  • Cruzamento de válvulas: 107° de separação entre os cames.

A conclusão que temos um comando de válvula assimétrico com mais duração e abertura no escape do que na admissão e um cruzamento intermediário. Mas para chegar a essa conclusão será necessária uma certa experiência em preparação para tomar a decisão da compra certa.

Um motor é como se fosse uma orquestra composta por vários instrumentos onde o comando é um deles, mas sozinho não faz milagre e sim valoriza o trabalho feito no cabeçote, no coletor de admissão e no coletor de escape.

Um bom comando de válvulas irá realçar os pontos positivos, mas também os negativos dessas escolhas. Para carros de rua, a escolha do comando deve estar relacionada com sua aplicação principalmente em relação ao cruzamento de válvulas, que vai afetar diretamente na dirigibilidade e consumo.

Cargas molas de válvula:

Quais molas de válvula devo comprar e qual ferramenta e procedimento devo usar para avaliar a mesma?

As molas das válvulas são uma das partes mais importantes de um cabeçote de um motor preparado. A mola garante que a válvula abre e fecha copiando o perfil do comando mantendo o tucho em contato com o eixo de comando durante o funcionamento do motor. Apesar de sua importância, elas são uma das peças de alto desempenho mais comumente negligenciadas.

Estilos de mola de válvula:

Existem alguns designs diferentes de molas. Cada um oferece diferentes níveis de desempenho.

A maioria dos fabricantes renomeados recomendará molas de válvula para cada configuração de comando que fabricam. Compreender as especificações da mola ajudará você a selecionar as molas certas para o seu motor.

Vamos usar um exemplo do site da Crower novamente, usando o comando já escolhido.
Observem na imagem acima que para esse comando de válvulas o que é sugerido na última coluna dá direita um “Kit de componentes adequados” número “84361” abaixo o que compreende esse “Kit”: Tucho, Mola e Pratos.
Esse “kit” sugere uma mola cujo o numero de série é “68404-8” para RPM acima de 8000. Essa mola tem as seguintes especificações de montagem:
A especificação dessa mola sugere uma carga inicial de 116lbs com 1.6” ou 40,64mm e uma carga final de 281lbs com 1,1” ou 27,94mm e o limite de compressão do conjunto de molas onde irá encostar elo com elo será de 0,950” ou 24,13mm.  
Para essa medição da carga de mola é necessário usar uma ferramenta chamada de dinamômetro de mola de válvula, para essa avaliação, ela irá medir a carga da mola de acordo com sua compressão. Abaixo segue um exemplo de um dinamômetro de mola de válvula.
Bancada de Fluxo:
Outra ferramenta importante para avaliar a preparação do cabeçote já foi citada no Blog – Preparação de cabeçote parte 3, a bancada de fluxo, onde a unidade de medida utilizada para avaliação é o CFM, mas você quer entender essa unidade de maneira simples assista o vídeo abaixo de Tiago Jorge da Tecnomec.
Você já viu um CFM?
Agora para concluir nossa matéria técnica assista o video da Stumpf Cabeçotes mostrando medição na prática de todos esses assuntos abordados. 
Medição de comando, carga de mola e banca de fluxo!

Curso relacionado ao Blog