Jul 9 / Eng. Cristian Silva

Preparação de cabeçote – Parte 1

Existem inúmeras maneiras de modificar um motor a combustão para obter mais potência, mas todas elas se resumem aos mesmos fatores comuns: colocar mais ar e combustível nos cilindros. E embora muitos "petrolheads" sejam obcecados com a indução forçada “turbo”, o retrabalho do cabeçote do cilindro em motores é uma modificação muito usada ainda, e vale a pena quando realizada por profissionais competentes, porque pode trazer mais alguns cavalos para seu motor.

Os Cabeçotes de motores originais são fabricadas usando um processo de fundição, com ferro fundido ou liga de alumínio sendo derramado em um molde para solidificar.
Durante este processo, pode ocorrer "flash" fundido, que é um defeito causado pelo vazamento de metal nas juntas da fundição e pelo contato entre a base do molde e o material quando em estado fundido. Uma vez que o material de base do cabeçote é fabricado, a usinagem CNC é então usada para fresar as sedes das válvulas e quaisquer outros pequenos chanfros e cortes necessários para completar o projeto do cabeçote.
Isso leva a uma superfície bastante áspera e com formas irregulares, afetando o fluxo do fluido (mistura) para dentro dos cilindros através do duto e da válvula. Para o fluxo mais eficiente com foco em desempenho máximo, o cabeçote pode ser usinado para reduzir a quantidade de pequenas restrições e remendos ásperos que podem impedir o fluxo em cada cilindro respectivo. Reduzir a turbulência do fluxo, produzirá uma entrada e exaustão mais suave do sistema, produzindo um aumento de eficiência volumétrica.
Mas antes de pensar no retrabalho do cabeçote a peça deve passar por uma avaliação bem criteriosa e compreender o objetivo do projeto, assinta esse vídeo do experiente Junior Stumpf falando sobre essa primeira etapa de escolha da peça e avaliação da estrutura do cabeçote. 
Escolha das Peças e Estrutura do Cabeçote - Cabeçote #1

Curso relacionado ao Blog