LAMBDA DE MÁXIMA POTÊNCIA

Feb 4 / Engenheiro Cristian Silva

Lambda de Máxima Potência

Vamos iniciar o assunto pela reação química chamada combustão, são os três elementos que na correta combinação, ar, combustível e fonte de calor, podem gerar ao motor máxima potência, mas para isso a relação ar/combustível deve tender a rica, porque?



Na verdade, potência é pressão média dentro da câmara de combustão. Para quase todos os combustíveis a maior pressão média não ocorre na condição estequiométrica (de máxima eficiência e máxima liberação de energia) e sim, na condição de mistura rica onde se tem menor eficiência de queima (menos energia) mas com maior formação de subprodutos que aquecidos (mesmo com menor energia) geram uma maior pressão. Portanto temos um lambda de máxima potência (na região rica) ótimo para cada combustível. Por exemplo, para o metano é 0,97 a 0,98; para o metanol é 0,79 a 0,82; para gasolina de rua é de 0,87 a 0,90 e assim por diante.



A imagem abaixo nos mostra a queda do pico de pressão da combustão com empobrecimento da mistura ar/gasolina onde o pico máximo está em lambda = 0.9. 


Quando o assunto é lambda “pobre” os riscos são muito altos, mas o que é lambda pobre e qual lambda pode vai quebrar seu motor?  Na imagem abaixo temos uma boa indicação do que pode acontecer com a combustão quando o lambda está muito próximo a estequiométrico. 

Nesse vídeo que é um dos assuntos no nível 1 falamos mais sobre o Lambda. 


Se você tem interesse em saber mais sobre acerto de veículos com injeção programável FuelTech, conheça o nosso Curso Nível 1 100% Online!